Jesus Cristo

Ele é a cabeça do corpo da igreja, é o princípio e o primogênito de entre os mortos, para que em tudo tenha a peeminência.
Porque foi do agrado do pai que toda a plenitude nele habitasse,

Colossenses cap. 1 vers. 18-19.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Celebração de Louvor.

21 de Novembro o Vale do Anhangabaú Tremeu... A Bíblia diz em Mateus 18.20 “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.”, Agora tente imaginar aonde há reunido mais de 500 mil crentes clamando, louvando e adorando ao Senhor Jesus... Com palavras não poderia descrever tamanha glória do Senhor que desceu sobre aquele lugar. Foram mais de 10 horas de louvor ao Senhor Jesus. Até que o sol queria aparecer, mais no final da tarde a chuva foi implacável, mais para glória de Deus nenhum irmão arredou o pé 1 cm se quer. O único jeito que tenho para tentar expressar essa perseverança e esse amor por Deus é que o Espírito Santo estava enchendo a cada um naqueles momentos de adoração e louvor. Irmãos esse não foi apenas um evento para dizer que uma denominação estava a frente de um grande acontecimento, mais podemos ver muito mais que isso, vemos uma vitória para Cristo e uma grande derrota no reino das trevas. O que aconteceu foi a união da igreja do Senhor que irá se encontrar no céu. Ali havia irmãos de várias denominações diferentes, mais por algumas horas todos fomos uma grande família feliz e unida adorando o nosso Deus poderoso. Sei que poderia ter mais que o triplo de irmãos lá, mais para todo grande evento tem-se que primeiro dar o passo inicial, e eu sei que esse foi o primeiro de muitos que acontecerão, e sei que no ano que vem vamos ter mais que o dobro de irmãos reunidos lá. Para quem não pode ir, não precisa se entristecer, pois ano que vem tem mais. Mas para aqueles que assim como eu puderam estar lá viram como o povo de Deus é unido nas horas de adorar ao Senhor. Oro a Deus por cada um que assim como eu, adora, louva e glorifica a Deus não por o que Ele pode nos dar, mais por aquilo que Ele já fez por nós. Que a Paz do nosso Senhor Jesus possa estar com todos os amados Amém. Rafael Bento Carvalho.

domingo, 22 de novembro de 2009

Te Agradeço Senhor.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

domingo, 15 de novembro de 2009

Salmo de Davi
1- SENHOR, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte? 2- Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração. 3- Aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhum opróbrio contra o seu próximo; 4- A cujos olhos o réprobo é desprezado; mas honra os que temem ao SENHOR; aquele que jura com dano seu, e contudo não muda. 5- Aquele que não dá o seu dinheiro com usura, nem recebe peitas contra o inocente. Quem faz isto nunca será abalado.

sábado, 14 de novembro de 2009

Nova mudança!

Mais uma mudança no creia na palavra, buscando boa navegação, rápidez e agilidade.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Pesquisa.

Fonte: Bíblia da Mulher – Editora Mundo Cristão – Sociedade Bíblica do Brasil.
Primeira Epístola de Paulo aos Tessalonicenses.
Autor- Há evidências internas e externas que sustentam que Paulo seja o autor desta epístola. Uma dessas evidências refere-se ao fato de o próprio apostolo reivindicar a autoria na própria epístola (1Ts 1.1; 2.18). A outra se apóia na opinião de especialistas no assunto, tanto antigos como atuais, que garantem a autoria de Paulo. Além disso, a epístola é tipicamente paulina de forma e coerente com os ensinos e características de Paulo.
Data- Logo após chegar a Tessalônica, Paulo foi forçado a si mudar para Beréia, depois para Atenas e, finalmente, para Corinto (At 17.1-10). Foi de Corinto, na sua segunda viagem missionária (50 d.C. a 52 d.C.), que Paulo escreveu aos crentes tessalonicenses. 1 Tessalonicenses pode ter sido a primeira epístola de Paulo.
Pano de fundoContexto- Tessalônica era a capital da Macedônia e sua principal cidade. Estava localizada na principal rodovia romana (Via Egnatia), que ia para o Leste. Paulo percebeu as ramificações globais ao atingir esse influente povo. A cidade era povoada basicamente por gregos, mas havia uma proeminente comunidade judaica.
Propósito- Paulo escreveu essa epístola depois de ter recebido um relatório de Timóteo, que havia acabado de retornar de uma visita a estes novos crentes (1Ts 3.6). Paulo determinou: 1- Expressar seu agradecimento e satisfação pelo crescimento e testemunho dos novos crentes; 2- Responder as acusações que estavam sendo levadas contra ele por alguns judeus oponentes; 3- Encorajar os crentes a continuarem o difícil trabalho deles, na perseverança e crescimento até a volta de Jesus; 4- Corrigir alguns mal-entendidos a respeito futura escatologia e a respeito dos sinais (dos tempos).
Destinatários- Primeiramente, essa epístola foi direcionada aos novos crentes de Tessalônica. Esse grupo de convertidos era composto por pagãos idólatras(1Ts 1.10), gregos “piedosos”(1Ts 1.8), além de judeus. Algumas das distintas mulheres de Tessalônica também se converteram (At 17.1-4). A orientação de Paulo era de que a epístola deveria ser lida para “todas” as pessoas (1Ts 5.27), o que inclui os crentes de todos os séculos.
Características literárias- Esta epístola é paulina na sua estrutura e nas suas características. O vocabulário é muito semelhante àquele que Paulo usa em outros escritos. Silvano (Silas) e Timóteo estavam com ele (1Ts 1.1); Paulo também não se intitula “apóstolo”. Sua autoridade espiritual e liderança nunca foram questionadas Tessalônica.
Tema- O tema de 1 Tessalonicenses é escatológico. De maneira interessante, cada capítulo termina com uma referência à volta de Cristo (1Ts 1.10; 2.19; 3.13; 4.13-18; 5.24). São discutidos a volta de Cristo e os eventos que conduzem à volta dele. Paulo dá aos Tessalonicenses uma esperança futura. Ele desejava que essa esperança encorajasse os tessalonicenses a suportarem os sofrimentos, a tornarem-se, dia a dia, mais parecidos com Cristo, a andarem mais perto de Deus e a anunciarem seu evangelho imediatamente. O encorajamento e as exortações de Paulo têm como objetivo aumentar o crescimento espiritual dos crentes.
Segunda Epístola de Paulo aos Tessalonicenses.
Autor
- Há evidências que sustentam a autoria paulina desta epístola. No entanto, há também controvérsias sobre esse assunto, mais do que em relação à primeira epístola de Paulo aos crentes de Tessalônica. Porem as evidências externas e internas que amparam a autoria paulina são bem consistentes. O próprio Paulo requereu a autoria (2Ts 1.1; 3.17). Além disso, o testemunho da Igreja Primitiva sustenta, firmemente, a autoria paulina. A leitura cuidadosa das duas epístolas revela semelhança de estilo, linguagem e teologia.
Data- Esta epístola foi escrita, provavelmente, alguns meses depois da Primeira Epístola de Paulo aos Tessalonicenses (51 a 52 d.C.). Paulo estava ansioso para continuar sua comunicação com os crentes de Tessalônica. Ele ainda estava em Corinto quando a escreveu. Apesar de algumas dúvidas sobre qual epístola foi escrita primeiro, pode-se afirmar com certeza que 1 Tessalonicenses precedeu esta epístola (2Ts 2.15).
Pano de fundo - Contexto- Tessalônica, capital da Macedônia, era o principal centro comercial que ligava a Macedônia ao Império Romano no Leste. A localização geográfica de Tessalônica era significativa para a evangelização do Leste.
Propósito- Paulo escreveu esta epístola para esclarecer seus ensinamentos sobre a volta de Cristo. Ao que tudo indica, Paulo recebeu notícias de que seus ensinamentos não foram bem compreendidos por alguns crentes. Ele também continuou a encorajar os tessalonicenses na fé.
Destinatários- Paulo escreveu novamente aos crentes de Tessalônica. Isso incluía gregos “tementes a Deus”, mulheres distintas e judeus que confiavam em Jesus.
Temas- Nesta epístola é exaltada a fidelidade de Deus. Paulo tentou encorajar novamente os tessalonicenses diante das perseguições e tribulações (2Ts 1). Paulo também explicou alguns aspectos pertinentes ao retorno do Senhor, o quais, aparentemente, causaram confusão nos tessalonicenses. Ele igualmente os advertiu sobre os perigos da ociosidade e encorajou-os a uma vida de auto-controle (2Ts 3.6-15). ≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈